Marca de carros elétricos abrirá 6 lojas no Rio Grande do Sul em 2024

Marca de carros elétricos abrirá 6 lojas no Rio Grande do Sul em 2024

Pesce diz que BYD chegará a Passo Fundo, Caxias, Novo Hamburgo, Pelotas e Santa Maria

TÂNIA MEINERZ/JC

Mauro Belo Schneider
Editor-executivo

A marca de veículos elétricos chinesa BYD estará mais próxima dos gaúchos a partir de 2024. De acordo com o diretor comercial da Iesa, que vende os veículos, Ambrosio Pesce, serão inauguradas novas concessionárias em seis cidades no ano que vem. Atualmente, apenas a loja da Iesa na rua Edu Chaves, no bairro São João, comercializa os carros em Porto Alegre. Para 2024, está prevista mais uma unidade na capital gaúcha, além de Passo Fundo, Caxias do Sul, Novo Hamburgo, Pelotas e Santa Maria.

“Em janeiro, será Passo Fundo. Novo Hamburgo abre no primeiro trimestre. Porto Alegre, Santa Maria e Caxias, até o meio do ano. Por fim, Pelotas. Teremos essa ampliação de rede para atender a velocidade que a marca traz”, detalha Pesce. Na manhã desta quarta-feira (13), foi realizado um evento na loja da Edu Chaves com a presença de executivos nacionais e mundiais. A chinesa Stella Li, vice-presidente global da BYD, contou que era sua primeira vez em solo gaúcho, e que sua participação tinha, justamente, o objetivo de expandir a abertura de lojas na cidade e no Estado. Stella anunciou, ainda, que a primeira fábrica da BYD no Brasil começará a ser construída na segunda metade de fevereiro de 2024, em Camaçari, na Bahia. A promessa é que seja a maior planta de veículos elétricos do País. Já foram contratadas 1 mil pessoas para trabalharem no local.

Ainda para 2024, ela prevê a chegada do Dolphin Mini, um modelo elétrico de entrada, ou seja, mais acessível para o bolso. Ideal para estudantes, ressaltou a executiva chinesa. Thiago Nahas, CEO do Grupo Iesa, estava na coletiva de imprensa. Ao lado de Stella, afirmou que o Dolphin disponível no momento custa R$ 149 mil. “Ainda não sabemos o preço do Dolphin Mini, mas dará acesso a mais gente poder comprar um carro elétrico. O Dolphin já é um sucesso, então temos expectativa que um carro com valor abaixo terá sucesso ainda maior”, prevê.

Stella destacou o avanço da modalidade no Brasil. “Antes da BYD entrar no Brasil (cuja comercialização iniciou há dois anos), a penetração de carros elétricos no País era de 0,8%. Em novembro passado, chegou a 3,6%”, celebrou Stella, citando que na China este número alcançou 41% neste ano. Representantes da Brigada Militar também participaram do evento da BYD na loja da Iesa, pois a ideia é que veículos elétricos sejam utilizados em um projeto piloto pelos policiais na Restinga com o apoio da Associação Comercial e Industrial do bairro. O major Hermes Volker, do 21º Batalhão, ressalta a importância da atenção à emissão de poluentes durante as patrulhas e cita outras iniciativas, como a instalação de placas solares.

VP global destacou benefícios de veículos elétricos para a polícia. Foto: Tânia Meinerz/JC

Os carros elétricos da BYD, conforme os executivos, aliam qualidade, luxo, inovação, economia e tecnologia. Stella exemplificou que uma pick-up elétrica usada pela polícia pode fornecer energia a um hospital em caso de falta de luz. “BYD significa Build Your Dream (construa seus sonhos). Isto que vamos fazer: mudar o mundo”, enfatizou a chinesa.

https://www.jornaldocomercio.com/