eletrico-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-startups-mobilidade-eletrica-eletricmove-feira-caxias-rs-aldo-rosa-1
CNDL
rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon
varejo-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-lab-hub-ecossistema-aldo-rosa-ceo-palestrante-cnc-fecomercio-sesc-senac-cndl-sindilojas-cdl-serasa-conecta-auto-olx-sp
energia-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-hub-startup-absolar-transicao-energetica-latam-mobility-net-zero-vibra

Mercado de veículos elétricos segue crescendo. Quando comprar?

Mercado de veículos elétricos segue crescendo. Quando comprar?

Mercado de veículos elétricos segue crescendo. Quando comprar?

Especialista recomenda planejar a troca do veículo à combustão para um elétrico até 2030, além da necessidade de planejamento financeiro para fazer uma boa compra

Um a cada quatro brasileiros já considera a compra de um veículo elétrico, segundo um levantamento da Bain & Company. Enquanto cresce o interesse pelos novos modelos, o mercado local se adapta com agilidade: uma estimativa da Associação Brasileira do Veículo Elétrico aponta que o número de eletropostos deve triplicar até 2025, chegando a 10 mil no país.

Mesmo com o aumento de impostos para a importação dos modelos que deve chegar até 35% em 2026, o mercado segue em constante aceleração. Segundo relatório do Rocky Mountain Institute (RMI), os veículos elétricos já devem representar 86% do mercado até o final da década.

Um dos pontos que justificam essa aceleração é a entrada de novos fabricantes no país. A fabricante chinesa BYD anunciou recentemente o investimento de R$5,5 bilhões para iniciar uma produção local a partir do segundo semestre, trazendo uma opção para o brasileiro que deseja adquirir um elétrico sem precisar pagar a importação. Atualmente, a marca já vende o modelo mais barato da categoria no país, custando a partir de R$115,8 mil.

Por outro lado, o crescimento dos elétricos no país é freado pelo alto custo de aquisição destes modelos. De acordo com uma pesquisa da Ipsos Drivers, realizada neste ano, 48% dos interessados consideram o preço como algo desanimador para a compra. Para o fundador da Eletricar, Mateus Afonso, “O segmento vem se atualizando muito rapidamente e os veículos devem ficar cada vez melhores, assim como as condições para compra”, destaca Mateus. “Nesse momento, o mais importante é começar a considerar a troca do modelo à combustão pelo elétrico até o final da década, além, é claro, de começar a reservar o investimento que pretende fazer”, conclui.

Como criador de conteúdo Klubi, única fintech autorizada pelo Banco Central a operar com consórcios no país, Mateus publica conteúdos semanais com dicas sobre carros elétricos. O Klubi atualmente tem como carro-chefe o consórcio automotivo de R$50 mil a R$200 mil, com planos de até 100 meses. Para o CEO, Eduardo Rocha, os consórcios se destacam para motoristas que querem comprar um veículo de forma planejada e são uma ótima alternativa para evitar os financiamentos, que chegam a cobrar 30% ao ano do consumidor. “No consórcio de um elétrico, o interessado pode até mesmo oferecer o valor do seu carro a combustão como um lance para acelerar seu plano de dirigir um veículo movido à bateria”, finaliza o CEO.

Sobre Klubi

O Klubi é a única fintech autorizada pelo Banco Central para operar como administradora de consórcios. O Klubi tem o propósito de inclusão e educação financeira com uma experiência digital, simples, transparente e segura. Fundado por Eduardo Rocha, o Klubi tem o apoio de investidores institucionais relevantes – Igah Ventures, Vivo Ventures e Parallax Ventures – e empreendedores de renome – Paulo Veras, Ariel Lambrecht e Renato Freitas (99), Guilherme Bonifácio (iFood) e Elie Horn (Cyrela).