eletrico-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-startups-mobilidade-eletrica-eletricmove-feira-caxias-rs-aldo-rosa-1
transporte-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ntc-logisitica-cnt-comjovem-sest-senat-sp-frotas-conectadas-aldo-rosa-3
eletrico-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-startups-ecossistema-mobilidade-cidades-inteligentes-aldo-rosa-1
rede-brasil-inovador-2024-inovacao-esg-ia-innovation-trends-brazil-cni-cna-cnc-hub-startups-web-summit-rio-janeiro-rj-melanie-nakagawa-microsoft-itau-aldo-rosa-1
CNDL

Mobilidade elétrica: o que podemos esperar do futuro?

Mobilidade elétrica: o que podemos esperar do futuro?

Mobilidade elétrica: o que podemos esperar do futuro?

Conheça o cenário da eletromobilidade atual e como as empresas podem fortalecer a transição energética. Há alguns anos, quando se falava em meios de transporte do futuro e mobilidade elétrica, o cenário era quase sempre associado a naves espaciais, carros voadores e trens flutuantes. Cá estamos. Chegamos ao futuro, e a mobilidade elétrica tem se mostrado cada vez mais simples e eficiente.

O investimento de empresas do setor está acelerando essa evolução no Brasil. Hoje, as baterias são mais duradouras, os carros têm mais autonomia, a rede de recarga tem se expandido exponencialmente e as vantagens econômicas estão mais competitivas.

O que é mobilidade elétrica?
A mobilidade elétrica pode ser definida como a eletrificação dos meios de transporte e opções de deslocamento, criando-se uma alternativa aos veículos à combustão. Essa alternativa é vista como uma das soluções para reduzir as emissões de gases do efeito estufa (GEEs) e minimizar os impactos ambientais causados pelos combustíveis fósseis.

Quais são as características da mobilidade elétrica?
Os veículos elétricos são alimentados por baterias que armazenam energia e que podem ser recarregadas em tomadas convencionais com o uso de adaptadores, ou em estações de recarga dedicadas, como as do programa Shell Recharge. Entre as principais características da mobilidade elétrica, podemos citar: zero emissões de GEEs, eficiência energética, economia financeira e redução de ruídos.

Zero emissões de CO₂
Pela ótica ambiental, a mobilidade elétrica é uma opção mais limpa e sustentável em comparação com a mobilidade tradicional. Enquanto os motores a combustão emitem GEEs, os elétricos não liberam nenhuma emissão direta e podem ser recarregados com energia de fonte renovável. Na Raízen Power, por exemplo, todas as estações de recarga Shell Recharge têm certificação I-REC para comprovar a origem renovável da energia elétrica utilizada nos carregadores.

Economia financeira
O custo por quilômetro rodado é inferior ao dos carros movidos por combustíveis fósseis. Não apenas economia de combustível, mas também o custo total de manutenção dos veículos elétricos é menor. Um estudo encomendado pela Prefeitura de Porto Alegre aponta que a transição para ônibus elétricos seria benéfica aos cofres públicos. O cálculo prevê uma economia de R$ 3,7 bilhões até 2050, considerando o abastecimento. Além disso, a mudança reduziria os custos da poluição na saúde pública, que hoje são estimados em R$ 9 bilhões na cidade. O custo de manutenção também é mais baixo. Isso acontece porque, devido à menor quantidade de peças móveis, fluidos e sistemas complexos em comparação a veículos a combustão, há menos desgaste e necessidade de manutenção. Além disso, a tecnologia de baterias duráveis e sistemas eletrônicos mais simples também tendem a reduzir custos.

Veículos silenciosos
Os veículos elétricos são mais silenciosos em comparação com os veículos a combustão, contribuindo para um ambiente urbano mais tranquilo. Isso acontece devido à diferença fundamental em seus motores. Ao contrário dos motores a combustão interna, os motores elétricos não precisam das explosões de combustível nem do movimento mecânico das partes internas. Esse fator não apenas torna a experiência de condução mais tranquila, mas também contribui para a redução da poluição sonora em áreas urbanas.

4 vantagens da mobilidade elétrica
Como mencionado anteriormente, um dos principais diferenciais da mobilidade elétrica é a ausência de emissões diretas de carbono. Além do impacto positivo ao meio ambiente, podemos citar outras vantagens dessa substituição. Confira:

Eficiência energética: os veículos elétricos (VEs) são considerados mais eficientes devido aos freios regenerativos que recuperam parte da carga das baterias dos veículos nas frenagens, ampliando a autonomia do carro durante seu trajeto.

Redução da dependência de combustíveis fósseis: a mobilidade elétrica reduz a dependência de combustíveis como petróleo e diesel, recursos não renováveis e sujeitos a flutuações de preço, negociações internacionais e disponibilidade.

Incentivos governamentais: alguns países e estados oferecem subsídios para a compra de veículos elétricos, como redução de impostos e acesso a faixas exclusivas. Essas medidas buscam estimular a mobilidade elétrica e acelerar a transição para meios de transporte mais sustentáveis.

Tecnologia em evolução: a indústria da mobilidade está sempre investindo em inovação. Hoje a indústria já oferece baterias mais duráveis, veículos elétricos autônomos e infraestrutura para recargas mais rápidas e acessíveis – como o programa global Shell Recharge, já presente no Brasil.

Como a mobilidade elétrica contribui para a mobilidade urbana sustentável?
A mobilidade urbana só é considerada completamente sustentável quando o sistema de transporte é socialmente inclusivo, economicamente viável e positivo para o meio ambiente. Portanto, a mobilidade elétrica acaba sendo indispensável para tornar esse conceito possível na prática. A adoção de VEs como alternativa aos veículos a combustão contribui diretamente para a redução de substâncias tóxicas na atmosfera. Assim, a qualidade do ar nas áreas urbanas melhora e, consequentemente, a saúde e o bem-estar dos habitantes também.

Ao diversificar as fontes de energia utilizadas no transporte, a mobilidade elétrica estimula a transição para um sistema energético mais limpo. Se os VEs são abastecidos com energia renovável, outros setores podem ser influenciados a rever seu consumo e fazer escolhas mais positivas para o meio ambiente.

Todo esse sistema só se torna viável se houver investimentos em tecnologia para descentralizar a mobilidade sustentável. Afinal, a sustentabilidade também cumpre um papel social e a inovação é capaz de democratizar esse acesso.

O incentivo à tecnologia impulsiona o desenvolvimento de soluções avançadas, eficientes e com energia renovável para a mobilidade urbana, promovendo um futuro mais limpo e inteligente para as cidades.

Como é a mobilidade elétrica no Brasil?
A eletrificação da mobilidade, principalmente individual, enfrenta desafios no Brasil. Os consumidores citam o custo inicial mais elevado dos veículos elétricos, a falta de opções de modelos e a infraestrutura limitada de recarga como principais obstáculos.

Atualmente, quase 125 mil carros da frota nacional tem algum tipo de eletrificação, mas entre esses, apenas 11.145 são completamente elétricos. Tudo indica que esse cenário tende a mudar até 2040, como mostra o levantamento da McKinsey & Company.

Conforme a empresa de consultoria, em 20 anos, as estradas do Brasil deverão ter cerca de 11 milhões de carros elétricos movidos a bateria. O mesmo levantamento mostra que o brasileiro é mais aberto a fazer substituições em prol do meio ambiente, mas evita algumas trocas pelo fator financeiro.

Ou seja, para ter uma frota mais limpa e sustentável, o consumidor espera que o preço dos veículos se torne mais acessível.

Se tratando de transporte público, o Brasil ainda fica muito atrás de outros países da América do Sul. A Colômbia, por exemplo, tem 1.589 veículos elétricos em funcionamento, enquanto por aqui são 386 no total, 219 deles na cidade de São Paulo.

O metrô é um exemplo de transporte público mais eficiente que utiliza exclusivamente energia elétrica. Ainda assim, a malha de trilhos de todo o território nacional chega apenas a 1.116 km, localizados principalmente na região sudeste.

O desenvolvimento da mobilidade elétrica no Brasil, portanto, está acontecendo lentamente, mas tende a crescer nas próximas décadas. Para que uma verdadeira transição energética seja possível, incentivos e investimentos do setor público e privado são indispensáveis.

Como as empresas podem contribuir para a mobilidade elétrica?
E por falar na participação do setor privado, empresas podem desempenhar um papel crucial no avanço da mobilidade elétrica. Substituir sua frota interna por modelos elétricos, disponibilizar carregadores no estacionamento e oferecer transporte coletivo eletrificado para os funcionários estão entre algumas medidas que podem ser adotadas.

Raízen aposta em parcerias para acelerar a mobilidade elétrica
A Raízen Power tem um compromisso com a eletromobilidade, sempre buscando soluções para facilitar a adesão a carros elétricos e tornar o transporte mais sustentável. Mas uma transformação desse porte não se faz sozinho. Conheça algumas parcerias e investimentos da Raízen:

Aluguel e recarga de carros elétricos mais acessíveis
Uma parceria entre Raízen e Localiza/Movida torna mais acessível o aluguel de carros elétricos, voltado a motoristas de aplicativo. Além disso, foram criadas estações de recarga dedicadas para o projeto. O espaço ainda conta com um local para descanso, em que é possível recarregar o celular e usar a internet, aprimorando a experiência do cliente. O projeto visa promover a mobilidade elétrica e, consequentemente, diminuir as emissões de gases do efeito estufa.

Praticidade para motoristas de carros elétricos
Em 2022, a Raízen Power anunciou o aporte de R$ 10 milhões na Tupinambá Energia, uma das primeiras startups a se especializar no desenvolvimento de softwares voltados para mobilidade elétrica. Por meio desse investimento, a empresa viabiliza a ampliação da rede de postos de recarga Shell Recharge para carros elétricos (a meta é 1.000 até 2024). A partir daí, foi criado também o aplicativo Shell Recharge para facilitar a vida do motorista de carro elétrico.

Com o aplicativo, os motoristas de carro elétrico dispõem de:

Mapa com a disponibilidade de carregadores mais próximos
Pagamento facilitado pelo aplicativo de forma 100% digital
Acompanhamento das emissões de CO₂ poupadas
Possibilidade de traçar rotas de viagens de carro com segurança e tranquilidade
Canais de suporte para sanar dúvidas e auxiliar na resolução de problemas.

Caminhões elétricos
Os investimentos em mobilidade não se concentram apenas em carros. Em parceria com a AMBEV, também criamos uma estação de recarga rápida para caminhões elétricos no RJ. O abastecimento é feito em 1 hora, com energia renovável, reduzindo até 110 mil litros por ano de consumo de diesel por ano.

E a eletromobilidade chegou até Guarulhos! A Raízen Power foi a primeira a usar um caminhão elétrico no abastecimento de um avião. O modelo da Volkswagen foi recarregado em uma estação de recarga rápida Shell Recharge, com potência de 60 kW.

O objetivo da Raízen Power é continuar acelerando o desenvolvimento da rede de recargas no Brasil, além aumentar ainda mais o portfólio para o setor de transportes. Ao fornecer energia renovável, reduzir emissões de GEEs e diversificar a matriz energética brasileira, redefinimos também o caminho da mobilidade.

A mobilidade elétrica faz parte da solução, mas nenhum meio de transporte pode ficar de fora da transição energética. Entenda o que é a mobilidade urbana sustentável e como esse conceito pode mudar nossa relação com as cidades.

https://www.raizen.com.br/